quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Projeto: 40 coisas em 100 dias

Primeiramente, gostaria de dizer que: É BEDA! Não irei fazer posts todos os dias porque minha sanidade não permite isso. Mas, me comprometo em manter uma frequência de posts bem bacana. Dando início aos trabalhos, trouxe uma das coisas que eu mais gosto de fazer: listas. Essa eu vi lá no blog DeClara, e nada mais é do que fazer uma lista com 40 coisas à serem feitas em 100 dias. É tudo bonitinho, divido por categorias. O projeto vai começar hoje, dia 10 de agosto e será finalizado no dia 18 de novembro. Espero que até lá eu já tenha riscado todos os itens da lista!

UM CONTO SEM PONTO (BLOG)
01. Manter a frequência de postagens de duas à três vezes por semana.
02. Fazer mais posts com imagens de minha autoria.
03. Arrumar a logo do blog.
04. Divulgar mais o blog.
05. Me comprometer com os projetos.

ESTUDOS & CULTURA
06. Me dedicar mais aos estudos.
07. Usar a técnica Pomodoro para estudar.
08. Manter meus trabalhos em dia (sem deixar para fazer no último dia do prazo).
09. Ler pelo menos mais 5 livros.
10. Ir a pelo menos um show.
11. Organizar minha vida acadêmica com a coordenadora.
12. Escolher a orientadora pro meu TCC.

EXPLORAR
13. Organizar com antecedência uma viagem para as férias de verão.
14. Conhecer o Templo budista em Três Coroas.
15. Ir à Gramado (de preferência para ver o Natal Luz).
16. Conhecer o restaurante Paris 6.
17. Conhecer a cafeteria Red Velvet Bakery.

ROTINA, BELEZA & SAÚDE
18. Consultar a dermatologista.
19. Começar a fazer academia.
20. Comer de três em três horas.
21. Comer mais frutas.
22. Beber mais água.
23. Manter meu quarto organizado.
24. Acordar mais cedo para não me atrasar.
25. Fazer clareamento dental.
26. Cortar meu cabelo.
27. Comer menos chocolate.

FAMÍLIA, AMIGOS, SOCIAL & GENTILEZAS
28. Encontrar mais os amigos verdadeiros.
29. Cozinhar para a família pelo menos uma vez por mês.
30. Valorizar mais aqueles que estão verdadeiramente ao meu lado.

OUTROS
31. Me organizar financeiramente para tirar minha carteira de motorista no final do ano.
32. Guardar dinheiro para as férias.
33. Fotografar mais, mesmo que coisas "pequenas".
34. Ser fotografada pelo menos uma vez.
35. Praticar o consumo consciente.
36. Reclamar menos.
37. Gastar menos dinheiro com "bobagens".

Conforme eu for fazendo as coisas eu irei riscando aqui na listinha, então vou deixar esse post fixo lá no menu do blog para aqueles que quiserem acompanhar meu comprometimento hahaha. Aproveitem e façam as suas listinhas também!

domingo, 7 de agosto de 2016

Eu tenho medo de sair sozinha

Hoje foi mais um dia em que o medo foi recorrente na minha vida. Dizendo assim até parece que vou falar sobre alguma coisa extremamente assustadora que aconteceu, mas não é exatamente isso. O simples fato de ter que sair sozinha na rua se tornou uma tarefa de coragem. E são nestes momentos que eu entendo e me sinto parte do movimento feminista, que defende com unhas e dentes quando se trata de segurança às mulheres.
Há alguns meses atrás, assisti à uma reportagem em que foi filmado a facilidade dos marginais em roubar qualquer pessoa que está caminhando pela rua. E o mais absurdo eram ver as imagens e que claramente se via os "veteranos do crime" dando dicas para mulheres e até menores de idade de como render uma pessoa. Não lembro em qual cidade foi gravada a reportagem, mas não é só naquela cidade que isso acontece não. Não é preciso ir muito longe pra encontrar caso de pessoas que foram assaltadas a mão armada durante a luz do dia em locais movimentados. Mas e quando não é só o roubo que assusta?

Não costumo usar roupas e calçados de marca ou jóias, e o máximo que eu teria a oferecer de valor ao assaltante seria o meu celular. O problema mora naquele que quer mais que um celular. Já cansei de ouvir histórias, em que aqui mesmo na minha cidade mulheres já foram assediadas por um qualquer que decidiu que iria estragar a vida de alguém naquele dia. Ou o caso de uma mulher que estava na parada de ônibus um "homem" a levou para dentro de um matagal e a estuprou durante duas horas seguidas. Ele só parou porque acreditou que a mulher estivesse morta. Azar foi o dele, porque ela sobreviveu para poder denunciar. Isso aconteceu na avenida principal da cidade, onde o fluxo de carros é constante. Inclusive durante um tempo existiu um homem (chamado pela cidade de 'maníaco do parque') que esfaqueava mulheres até a morte, sem roubar um real se quer. E eu fico me perguntando o porquê de todas essas situações. E os casos de estupro, sequestro e roubo só aumentam por aqui, ao meu redor.

Sair até a esquina é um ato de coragem. Morro de medo de qualquer buzina que possa vir do motorista desocupado que quer chamar a minha atenção, ou do cara de moto que vai passar ao lado. Já aconteceu até mesmo de eu estar acompanhada do meu namorado e passar um caminhão, o motorista buzinar e ainda ficar falando coisas. Chega a dar uma repulsa só de pensar no quanto de obscenidade esses "homens" são capazes de falar e o pior, de fazer. E tudo isso por quê? Não existe motivo aparente para explicar o porquê dessas atitudes absurdas.

Chegou ao ponto em que meus pais falaram para mim: "Não sai mais sozinha de casa, tá? Nem pra ir ali no mercado". E agora, José?

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Filmes: Últimos bons filmes assistidos

Uma coisa que eu fiz muito nessas férias, foi assistir todas as séries e filmes que eu me vinha em mente. Afinal, tem coisa melhor do que ficar em baixo das cobertas assistindo um bom filme? A maioria dos filmes já deve ser bastante conhecido por todo mundo, mas deve ter gente assim como eu que não assistiu por alguma razão ou por não conhecer mesmo. Fiz então uma listinha com alguns dos filmes que eu assisti e que eu indico porque vale a pena ver (ou rever).

The Fundamentals of Caring. Me fez rir muito com seu drama e uma pitada de comédia. O filme conta a história de um "ex-escritor", Ben, que depois de passar por uma tragédia familiar decide fazer um curso de cuidador e começa a trabalhar como cuidador de Trevor, um garoto de 18 anos com distrofia muscular e um humor ácido. Ao ver Trevor sempre em frente a TV admirando lugares que acredita nunca poder conhecer, Ben convence a mãe de Trevor para que deixe levá-lo a uma viagem afim de conhecer o buraco mais fundo do mundo, no qual Trevor é obcecado. E é nesta viagem que no caminho encontram Dot, uma garota na qual Trevor fica bastante interessado e Peaches, uma grávida prestes a dar à luz. Juntos embarcam na jornada.

Questão de Tempo. Uma amiga me indicou dizendo que era deses tipos de filme que tem uma lição de vida, e quando terminei só sabia chorar e repensar em várias coisas. Quando Tim completa seus 21 anos, seu pai lhe conta um segredo de família que é levado há muitas gerações: os homens da família conseguem viajar no tempo, mas somente para o passado. É partir desta descoberta que Tim então decide usar esse "dom" para conseguir uma namorada. Através de idas e voltas no passado, ele descobre que essas viagens podem provocar consequências.

Valente. Depois de muito tempo, criei vergonha na cara e assisti Valente. Já conhecia um pouco da história, mas não imaginava que iria mexer tanto comigo. Lindo, fofo e inspirador do início ao fim. Me identifiquei muito com a Merida! Valente traz a história de Merida, uma jovem que passou a vida toda sendo tratada e ensinada por sua mãe para ser a futura rainha perfeita. Completamente diferente do que a sua mãe deseja, Merida prefere cavalgar e praticar tiro ao alvo. Mas tudo muda quando após uma discussão com a sua mãe, a menina encontra uma bruxa e com um feitiço com o propósito de apenas mudar o seu destino, transforma a sua mãe em algo peculiar. Sua luta começa para tentar buscar uma forma de reverter o feitiço e impedir que os povos aliados entre em guerra.

A Teoria de Tudo. Todo mundo pelo menos já ouviu falar uma vez desse filme. Quando estreou, no ano de 2014, só se fala sobre a história de Stephen Hawking ter sido adaptada para as telas do cinema. Gosto muito desses filmes que tem uma "história real" por trás, aumenta muito mais a emoção. E não foi diferente assistindo A Teoria de Tudo. Me emocionei diversas vezes, principalmente pela persistência de Stephen e o carinho, paciência e companheirismo da sua primeira esposa desde os primeiros sintomas da deficiência motora degenerativa.

Ligados pelo Amor. Esse filme já estava me tentando durante algumas semanas sempre aparecendo como recomendado no meu perfil da Netflix, e em uma noite de tédio assisti, chorei, ri e amei. Um filme simples envolvendo a história de um escritor obcecado pela vida da sua ex-esposa. Além disso, acompanhamos a vida de seus dois filhos, Samantha e Rusty, também escritores, ambos com personalidades bastante diferentes quando o assunto é relacionamentos.
Copyright © 2016 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo